A loucura me sublima

12
Ago 10

O sangue ferveu nas veias e, num impulso, agarrei aquele pescoço branco.
Apertei... apertei... apertei...
Cravei os olhos negros naqueles olhos verdes... perplexos.
Desejei aquela boca vermelha semiaberta.
A mágoa começou a escoar pelos meus poros.
Apertei mais...
Os olhos fixos naqueles olhos culpados.
Uma sensação de alívio deslizando mansamente pela pele.
E apertei...
Os olhos verdes mais verdes.
A boca mais vermelha.
E um suave calor tomou o meu corpo extasiado.
Apertei um pouco mais... parei... afrouxei as mãos...
Os olhos verdes se fecharam... e se abriram.
A boca vermelha murmurou alguma coisa.
E, num impulso, soltei as mãos daquele pescoço branco.
E beijei com furor aquela boca vermelha.
Com os olhos negros cravados no verde daqueles olhos verdes... safados.
E senti um alívio frouxo no fundo da minha alma humilhada.

Publicado por Antonio Medeiro às 09:47

Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30
31


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO