A loucura me sublima

11
Ago 11

Rompe o dia tão esperado.
Nada aconteceu, o mundo permaneceu o mesmo.
Eu permaneci o mesmo.
O mundo inteiro o mesmo.
E eu que esperava tanto desse dia.
Era o meu dia prometido, o dia que eu realizaria todos os meus sonhos.
Saciaria todos os meus desejos.
Me livraria de todos os meus conflitos.
O cavalo verde de asas azuladas não compareceu à minha janela.
Vi, da cama, quando ele passou pelas nuvens, longe do alcance das minhas mãos.
Cobri a cabeça com o travesseiro e me fiz novamente noite.
Vou esperar romper o novo dia.
Quem sabe amanhã o meu cavalo verde de asas azuladas se apiede da minha eterna noite e compareça à minha janela.
E me leve para o lugar em que nasce a luz e onde todos os homens são felizes.
Sem distinção de raça, cor, credo, etnia, língua...
E modo de pensar.

Publicado por Antonio Medeiro às 14:05
tags: , ,

Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO