A loucura me sublima

23
Out 09

Todos os dias assisto ao nascimento do sol.
Fico ali parado observando o feto sanguíneo que salta do útero do mar.
E sinto na pele os carinhos das suas primeiras raias de luz.
Fecho os olhos e sinto na alma a mágica da vida.
E penso na eternidade dos segundos.
Em quantas vidas vivo no interstício de cada um deles.
Em quantos poemas escrevo mentalmente nas páginas das minúsculas eternidades.
Eu abro os braços e me entrego à sua grandeza.
Pairando sobre mar, sempre soberano, sinto que agradece a minha presença.
E sobe rapidamente para o infinitude do cosmos.
Como um pássaro que ganhou a liberdade.
Pelas mãos do meu olhar.

Publicado por Antonio Medeiro às 09:25
Música: Variada

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13


26
27
29
30


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO