A loucura me sublima

31
Out 09

No espelho, espreito meu rosto.
Surrado, com um quê de estrabismo no olho direito.
A pálpebra esquerda caída.
O nariz meio que achatado.
Os lábios queimados pelo cigarro e o álcool.
O olhar vago, sem profundidade, mal chega à lâmina do espelho.
A face: um mapa de trilhos, caminhos e cânions.
Uma marca de nascença na orelha direita.
Um sorriso amarelo no canto da boca.
Meio que um remorso refletido na imagem.
É só o poeta contando as suas cicatrizes.
Como faz todas as manhãs.

Publicado por Antonio Medeiro às 08:22
Música: Variada

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13


26
27
29
30


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO