A loucura me sublima

02
Dez 10

E de repente, do nada, estava no lamaçal.
A lama atingiu o pescoço.
E se misturou com a barba.
Tentei murmurar algo, mas engoli a gosma negra.
E grunhi como um porco chafurdando no chiqueiro podre.
Enfiei as unhas nas pedras da parede.
Tentei alcançar a luz acima da cabeça.
As unhas sangraram... deixaram um risco vermelho na dureza da prisão.
Senti faltar o chão.
E me afundei na macia dureza do meu colchão.
E a baba negra escorreu pelo canto da boca.
E a noite me envolveu com sua úmida solidão.

Publicado por Antonio Medeiro às 08:56

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
21
22
24
25

26
27
28
29
31


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO