A loucura me sublima

03
Jun 10

Na madrugada insone, luto com a palavra.
A palavra é rebelde.
Ela ruge, grita... esperneia.
Arranha as paredes da minha alma.
Espanca o meu âmago.
Tenta sair, ganhar asas... correr mundo.
Mas está atada ao meu lirismo.
Uma pena!
A minha palavra se achava tão confiante, tão precisa... tão viva!
Mas era apenas uma palavra prisioneira.
Dessas que nunca serão lidas... nem ouvidas.
Uma dessas palavras que fazem parte da minha inquietude.
E não servem para consumo.
Jamais serão entendidas.

Publicado por Antonio Medeiro às 08:46

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO
subscrever feeds