A loucura me sublima

27
Out 11

Distraído, perambulava pela noite infinita.
Um ser minúsculo na imensidão do caos...
Pensava no que escrever.
E, distraído, caminhava sobre o tapete de astros, o caminho da minha lírica impaciência.
Não senti dor quando pisei na ponta afiada da estrela cadente e o meu sangue deixou o seu rastro na noite sem fim.
O sangue riscou a parede do nada.
E vi na sua trajetória o poema desnudo.
Um verso ou uma metáfora?
Ou apenas um homem em desvario?

Publicado por Antonio Medeiro às 18:37

Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
18
19
21
22

23
24
25
26
28
29

30
31


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO
subscrever feeds