A loucura me sublima

29
Set 11

E de repente, no silêncio da noite, encontrei-me no meio do nada da minha vida sem rumo.
Parecia um cão esfomeado perdido no deserto sem fim das ilusões humanas.
Encolhi-me feito um feto no canto mais longínquo da cama.
E senti a dor doer, correr, pelos nervos, pelas veias, pela alma, pelo coração.
E percebi a extrema condição de desespero em que eu me encontrava.
E encolhi mais...
Tentei reagir com uma lágrima, nada...
Tudo em silêncio, tudo deserto, tanto desespero...
Tanto sofrimento... 
Tanto gelo, tanto desejo reprimido, tantos nãos, tanta solidão, tantas coisas que não interessam mais...
Tanto eu!
E a noite...

Publicado por Antonio Medeiro às 19:30

Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
23
24

25
26
27
28
30


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO