A loucura me sublima

05
Jan 12

Não sei como aqui cheguei.
À minha frente, a praia se abre como estrada sem rumo.
Engulo os últimos goles do sol da tarde e desenho com o dedo o voo das gaivotas sobrevoando o infinito.
Chuto as ondas esbranquiçadas do mar bravio.
Penso nos últimos dias, nas últimas consequências dos meus atos, nas últimas horas de liberdade.
Logo, estarão aqui; me levarão para o lugar mais escuro do mundo.
Amarrarão-me a mim mesmo e me enviarão para dentro da minha cabeça.
A sentença pelo crime mais hediondo do ser humano:
Desperdiçar a própria vida.
Desencantado, olho a grande e boba vida dançando ao meu lado.
Dou de ombros.
Talvez eu não queira ser o meu próprio prisioneiro e me atire no 1/2 das suas chicotadas inúteis.
No 1/2 da noite, do útero das águas,  salta a lua.
Apenas observo...
E fico pensando qual dos caminhos seguir.

TõeRoberto

Publicado por Antonio Medeiro às 18:02

Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
20
21

22
23
24
25
27
28

29
30
31


Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
Posts mais comentados
2 comentários
2 comentários
1 cometário
blogs SAPO