A loucura me sublima

24
Jun 10

Atravessei a fronteira de mim mesmo, me tornei um viajante sem pátria.
Viajo sem amarras.
Não trago em mim marcas de etnias, religiosidade e línguas.
Transpiro universal humanidade.
Canto a felicidade de todos os corações.
Sou a brisa macia das peles.
O conforto dos desiludidos.
A palavra certa para os amores impossíveis.
O sonho dos libertadores.
Aniquilo com meu canto a intransigência e a intolerância... o ódio entre irmãos.
Sou apenas um cidadão do mundo...
Sou apenas um... mas me sinto tantos!

 

Publicado por Antonio Medeiro às 10:33

Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


Posts recentes

Cidadão do mundo

Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
blogs SAPO