A loucura me sublima

21
Out 09

As palavras não cantam o amor.
Cantam a falta de... a minha sozinhez.
E doem como uma saudade da infância.
Piso em minhas cicatrizes afetivas... os pés sangram.
O amor, não sei onde ficou.
Talvez embaixo da cama da minha memória ou nos olhos da minha mãe.
Que pensava me amar, mas me escondia do aprendizado doído do mundo.
E aqui estou sem eira nem beira à procura de um rumo, ou o que for.
Abraçado com a minha mal-amada dor.

Publicado por Antonio Medeiro às 09:40
Música: Variada

Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


Posts recentes

Mal-amada dor

Pesquisar
 
Comentários recentes
Gostei muito do texto! Parabéns!
...''Novamente vou partir à procura da felicidade....
"Tu és pó e ao pó "reverteres" Em verdade é só iss...
Meu amigo, se deixar-mos a vida nos levar, poderem...
Gostei do novo visual do blog... E tenho gostado s...
blogs SAPO